AQUI HÁ

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

ILHA DOS AMANTES

vem só, sem nada
sem nada a mais do que deus deu
se deu e não se arrependeu
ele lá sabe o que fazia
vem só, sem nada
vem arrastar a tua asa
fazer das minhas tua casa
saber porque é que deus sorria

vem só, sem nada
ninguém vai lançar mau olhado
porque não há mal nem pecado
em cegar de tanto querer
vem só, sem nada
deixa o teu olhar descobrir
o meu, que eu tenho de partir
mas volto um dia pra te ver

ai, deixa ver
onde o teu peito desagua
onde é que nasce a luz da lua
eu vou sem nada pra te ver

Música: Manuel Paulo (Pássaro Cego)

5 comentários:

Mai disse...

Meu Deus e o amor falando seus nus.
Amor poético e só.
Belíssimo e verdadeiro.
Abraços e boa semana.

Paula Raposo disse...

Maravilha, João!!
Beijos.

Mário Lopes disse...

Que beleza poder vir aqui dizendo "eu vou sem nada pra te ver"!
Maravilhoso poema! E que bem que ele é musicado e cantado no "Pássaro Cego", uma obra a não perder!
Parabéns, João Monge!

peciscas disse...

O amor, despojado, imperioso e urgente em mais uma das tuas belas canções.

Sara Barbot disse...

ADOREI!!!!!

Parabéns!

(se eu escrevesse assim, era mais feliz...)