AQUI HÁ

quinta-feira, 22 de julho de 2010

VOLTA CEDINHO

Minha mãe disse
Para eu voltar cedinho
Que a noite tem
Um espinho em cada esquina
Eu ainda
Sou o seu menino
Nem o tempo a vai mudar

Minha mãe disse
Para eu não me perder
Que a noite tem
Caminhos sem saída
Eu não sei
Se vai amanhecer
Prometo que vou ligar

Minha mãe disse
Que há medos e paisagens
Que a gente traz
No bolso à nascença
E o desejo
De muitas viagens
Para que o medo não nos vença

Por isso agora
Está na tua mão
Contar as pedras
Que há no teu caminho
Mas aceita
Uma sugestão:
Por favor, volta cedinho

Música: Jorge Prendas

8 comentários:

Luiza Maciel Nogueira disse...

que lindo!
uma cançao q me lembra a minha infância.

bjs!

Batom e poesias disse...

O eterno medo das mães.
De todas.
Lindo.

bj
Rossana

Anónimo disse...

Tens a Arte de deixar as gargantas apertadas e só à décima engulidela é que elas ficam normais.
ABRACINHOS :)}-<
vanda

samuel disse...

Gostei muito de encontrar este estabelecimento.
Um dia destes havíamos de fazer uma cantiga juntos... ou duas... ou mais... :-)))

Abraço.

PB disse...

Olá João,

Eu e alguns amigos estamos a criar um blog do Benfica. Ainda estamos apenas na fase em que o projectamos. Na nossa mente, uma possível ideia seria ter várias pessoas de alguma forma ligadas ao SL Benfica a escreverem semanalmente, ou quinzenalmente uma crónica.

Já contactámos algumas pessoas, inclusivé atletas que parecem disponíveis.

Se o projecto avançar, há da sua parte algum interesse e disponibilidade para fazer parte da casa? Seria uma honra demasiado grande.

Abraços, obrigado pela atenção e desculpas pelo incómodo,
Pedro Bouças (ex colega da Alembrança)

zoltrix disse...

e prontos! depois deste convite benfiquista ainda vamos ter um "fado vitória"!
Boa

Solange disse...

João...

as mães sabem de nosso tamanho... e sabem ainda do tamanho das noites...

e querem nos guardar, como se assim fosse possível evitar o inevitável...

amo suas palavras...

beijo

Lena disse...

Bom... isto tanto tarda que vou mesmo dizer: se perdido não estás, nem enredado em caminho sem saída, só podes andar em viagem, a ver se o medo não te vence. Compreendo. Mas... se não voltas cedinho, pelo menos não deixes de voltar...

Beijo.