AQUI HÁ

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

COMO TE CHAMAS?

Chamei lábios aos teus lábios para ser original
Chamei carne à tua carne para assim a distinguir
Chamei às linhas do corpo tudo aquilo que é normal
Por fim perguntei-te o nome
E desatámos os dois a rir

3 comentários:

Anónimo disse...

Não posso dizer;)

Aldina Duarte disse...

A razão porque te acho um letrista único e dos melhores de sempre é porque antes de tudo és um poeta.

Beijinhos gratos, como os verdadeiros artistas merecem e, já agora, festas felizes.

Borboleta disse...

No vislumbre da noite te sorri
Em encontros fortuitos de luares
Por ruas pedestres melhor te conheci
Em desassossegos despertares

Boa disposição,sorrisos e gargalhadas
Em minutos de incontável conversação
De histórias nunca antes contadas
Celebrando o início de uma ligação

Um jinho