AQUI HÁ

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

FILHOS DA PUTA

não me sai sequer um verso torto
FILHOS DA PUTA!
nada que se cante me apetece
FILHOS DA PUTA!
tudo o que me sai já vem meio morto
FILHOS DA PUTA!
até o próprio canto me entristece
FILHOS DA PUTA!
mataram todas as canções num dia
FILHOS DA PUTA!
porque todas são irmãs do mesmo pranto
FILHOS DA PUTA!
mas a criança que dentro de mim se ouvia
FILHOS DA PUTA!
há-de juntar-se às outras no seu canto
FILHOS DA PUTA!

10 comentários:

Anónimo disse...

Camarada, às vezes sinto exactamente o mesmo sem tirar nem pôr e muitas das vezes é preciso estar esgargalado ou mesmo fodido a esse ponto para que exactamente o contrário venha cá p'ra fora. Ainda por cima depois da fé enquanto ilha, que espero mostrar-te ainda hoje ou amanhã.
Este parágrafo é gajo p'ra estar um bocado confuso, mas que se lixe.

Anónimo disse...

Mais um dos teus bons poemas, João Monge!

«não me sai sequer um verso torto
nada que se cante me apetece
tudo o que me sai já vem meio morto
até o próprio canto me entristece
mataram todas as canções num dia
porque todas são irmãs do mesmo pranto
mas a criança que dentro de mim se ouvia
há-de juntar-se às outras no seu canto»

A poesia está "aí", "aqui", "lá", mesmo quando não a consegues ouvir, dentro de ti, olha como ela te sai quase sem dares conta... desta vez, não tiveste tempo de a ouvir por dentro porque o verso foi mais rápido do que tu e, antes de tudo, fez-se voz cá fora.

Aguenta-te e escreve, sempre!

Beijinhos

peciscas disse...

Filhos da Puta!
Lixam-nos a vida e ainda se riem!
Filhos da Puta!

Toze disse...

E todos filhos da mesma mãe!

Pátria que os pariu!

San disse...

porra!

Anónimo disse...

Puta que os pariu!!


Gostei....
ema

Lídia disse...

Ai se eu tivesse voz rouca e fosse um pouco fadista... colocava um xaile sobre os ombros, punha as mãos na anca e um pé à frente, levantava o queixo e...
É melhor parar de sonhar. Mas que me apetece, apetece!
Nem sequer consigo ler sem trautear...

Anónimo disse...

Xiiiiii... c'um catano!...
O ambiente hoje aqui não está nada fácil...
Só faço que "sim" com a cabeça e vou-me já embora...

Lena

zoltrix disse...

fila-os! que depois de bem filados acabarão por sair do caminho!

MariaIvone disse...

Se fosse possível matematizar a poesia punha-se FILHOS DA PUTA como factor comum em evidência e ficaria assim:

(não me sai sequer um verso torto;
nada que se cante me apetece;
tudo o que me sai já vem meio morto;
até o próprio canto me entristece;
mataram todas as canções num dia;
porque todas são irmãs do mesmo pranto;
mas a criança que dentro de mim se ouvia;
há-de juntar-se às outras no seu canto)FILHOS DA PUTA

Ganhava no embalo mas perdia a força da persistente redundância.