AQUI HÁ

domingo, 1 de março de 2009

ROMÃS

Gosto de pensar que alguém que me faz falta está duas posições à frente na fila do supermercado. É reconfortante saber que, sem rosto que eu distinga, com um saco de romãs na mão, abençoamos o facto de não pagar com cartão, porque assim se detém mais uns segundos.
Para quem serão aquelas romãs?
Vocês sabem que nunca se deve apontar para uma romã na árvore? Elas não gostam e definham. Não me perguntem porquê, é assim e assunto resolvido!
A mulher leva um saco de romãs nunca apontadas na mão e, se tudo correr pelo normal, permanecerão vermelhas até serem contas do rosário de alguém.
É isto que me faz falta: uma mulher que nunca vi, com o coração das árvores na mão para que todos ouçamos a primeira canção do mundo.
Não admito que me chamem doido se lhe escrever uma letra. É que eu sou doido por romãs…

8 comentários:

Anónimo disse...

Tem graça... eu gosto de pensar que alguém que me faz falta, está dois lugares atrás de mim na fila do supermercado, intrigado a pensar, pelas compras que apresento na caixa, que pessoa serei eu.
Como raramente compro romãs, agora já sei que nunca serás tu.
Ora bolas...

San disse...

deve ser a tua costela árabe, j. monge!
pois eu imagino facilmente um homem na rua, com um saco de romãs, ao cair da tarde.e não sei se imagino melhor o homem ou o saco das romãs ou a nostalgia de um tempo em que os homens percorriam as ruas como poetas ou marinheiros...

Portaria ILEGAL disse...

Venho-te convidar a fazeres parte de um grupo que considero interessante, visita o blogue: http://portaria-59.blogspot.com/
Beijos da Alexix

Solange Maia disse...

João,

Te ler é inspirador... dá vontade de sentar e começar a escrever...

E este texto especialmente está dvino !

Acho que as romãs vão acabar sendo suas...risos... !!!!

Parabéns !

Amei sua visita ao meu blog :

http://eucaliptosnajanela.blogspot.com

Beijo carinhoso,

Solange Maia

peciscas disse...

Nunca te chamaria doido, até porque, se o fizesse, provavelmente estaria também a designar-me a mim mesmo...Porque alinho, frequentemente, nesse tipo de loucuras, quer dizer, de sonhos.
Por isso, venha de lá mais essa letra!
Que, aliás, já começaste a escrever:
"com o coração das árvores na mão..."
Seria um excelente começo.

Silvestre Gavinha disse...

Louco e belo como um quadro de Dalì.
Mas penso que mais.
Teu sonho me parece sagrado.
Eterno.
Bem mais que a pintura.
A romãs a se tornarem contas de um rosário de alguém.
Vermelhas, sanguíneas, sagradas e sacrílegas.
Lindo
Marie

Paula Raposo disse...

Romãs!! Já somos dois...um excelente texto e não serias doido, não. Beijos.

Franzé Oliveira disse...

João estou lendo o seu texto Romãs por indicação de uma amiga. Ela leu um post meu onde coloquei uma velha cançao de Raul Seixas e Paulo Coelho, escritor renomado no mundo. Aí fez menção ao seu texto e me recomendou. Aqui estou. O trecho da velha canção q ela lembrou do seu texto (risos) é:
"Virá antes de eu encontrar a mulher, a mulher que me foi destinada,
E que está em algum lugar me esperando
Embora eu ainda não a conheça? A canção refere-se a morte.

Um abraço e tb adorei seu texto.