AQUI HÁ

terça-feira, 19 de outubro de 2010

DEVE TER SIDO POR GRAÇA

piscaste o olho e sorri
deve ter sido por graça
virei a cara e fingi
que só estava a ver quem passa
e só reparei em ti
porque dançavas com raça
piscaste o olho e sorri
deve ter sido por graça

pus um xaile adamascado
para ver passar Alfama
e se vinhas destacado
é porque andavas em fama
com o teu olhar de fado
quando olha já chama
pus um xaile adamascado
para ver passar Alfama

deste-me o braço ao passar
deve ter sido por graça
e levaste-me a marchar
do Marquês até à Praça
Santo António no altar
dá o nó a quem enlaça
deste-me o braço ao passar
deve ter sido por graça

Música: João Gil

3 comentários:

Mai disse...

Olhares que sorriem, e no encontro o abraço e o caminhar pela poesia.

Uma graça!

Anónimo disse...

Nos tempos que correm, que ande alguma graça à solta por aí...

Beijo.

Anónimo disse...

aí fadista!