AQUI HÁ

sábado, 25 de dezembro de 2010

SAIA INDISCRETA

É tão difícil deixar-te
Antes pedir que me deixes...
Tu tens o encanto à parte
do brilho fugidio dos peixes.

Gosto de te ver andar de bicicleta na minha rua
É a maneira indirecta de mostrares as tuas pernas
Uma agora, outra depois...
Até a saia mais discreta parece feita de vento
Eu no passeio
E tu no acento...
Dás tesouradas no ar
no meu peito a contra tempo

É tão difícil deixar-te
ver-te virar noutra rua
Tu tens o encanto à parte
de pedalar para a Lua

Música: João Gil

3 comentários:

Anónimo disse...

a adolescência em flor
ou as hormonas a dar a dar
que bom foi ter amor
no tempo próprio para amar

Primeira Pessoa disse...

João Monge,
há muito acompanho o seu trabalho, poeta.
conheci-o nas canções dos trovante, um dos maiores grupos da palavra cantada na língua portuguesa.

abraço brasileiro do

roberto lima.

Solange disse...

João...

como é bom te ler...
como são lindas as tuas palavras, e me tocam profundamente... sempre...

obrigada por escrever...

beijo carinhoso